( Resenha ) Cujo de Stephen King @Suma_BR

Suma de Letras

Clique na capa e compre o livro na Saraiva

Resenha



Um fato sobre mim: sou fã de Stephen King. Estou começando agora a dedicar uma parte da minha estante para o autor. Não consigo ficar mais de 60 dias sem ler algo do cara, se tornou viciante. Nunca encontramos apenas terror em suas obras.

Tinha muita curiosidade para saber o que o livro Cujo traria. Apesar de ter um filme baseado na trama, nunca assisti e por isso não fazia ideia do que tratava o enredo. E o livro, como era muito difícil de ser encontrado, dificilmente encontramos resenhas. Sorte que a Suma sempre pensa nos fãs de Stephen...

Imaginava encontrar um cachorro endemoniado. Não riam, é sério. Pensei que logo nas primeiras páginas encontraria um animal feroz, cujo alimento preferido era carne humana. Não foi nada disso.

De início, Stephen não fala sobre Cujo. Ele começa plantando um medo em nosso coraçãozinho contando a história de Frank Dodd. Estamos nos anos 80, na cidade de Castle Rock, no Maine. Esse tal de Frank Dodd era como uma lenda medonha, daquelas usadas pelas mães para que as crianças não brincassem na rua até tarde. Ele estava morto, porém assombrou a cidade inteira quando vivo, matando várias mulheres. Foi um crime inesquecível, e todos tinham medo do seu retorno.

No entanto, monstro que é monstro nunca morre. Lobisomem, vampiro, carniçal, criatura sem nome de terras arrasadas. Monstro que é monstro nunca morre.

Claro que a casa onde Dodd morou recebeu a alcunha de assombrada. Já senti pavor desse cara e imaginei então mil e uma teorias para o fato do autor ter contado essa história, mas então ele nos apresenta o garotinho Tad Trenton.

Logo nas primeiras páginas, eu já fiquei de cabelo em pé, e Cujo não havia aparecido. Tad acreditava que dentro de seu closed existia um monstro. Seus pais, Vic e Donna, faziam de tudo para mostrar ao garoto que não havia nada ali, porém, ele sentia que havia, aliás, via o terrível monstro. Fantasia ou não, o fato era que o medo do garoto foi descrito de uma forma tão palpável, que fiquei em pânico. Senti medo junto com Tad.

Assim, temos dúvidas em mãos: existiria mesmo um monstro no closet de Tad? Ou será que não passava apenas da imaginação fértil de um garotinho?

Com o virar das páginas, o clima de tensão, medo e dúvida some quando somos remetidos ao dia-a-dia dos personagens. Podemos conviver com a família Trenton. É incrível como Stephen tem uma forma de nos fazer criar laços, mesmo quando nossos instintos pedem para que não façamos isso.

Vejam bem: não temos uma família de comercial de margarina. Temos uma família comum, com problemas como quaisquer outras. Percebemos que algo está errado ali, porém não é sobrenatural; Stephen nos coloca a par de todos os segredos familiares dos Trenton. 

Talvez seria motivo para julgamentos, talvez seria motivo para desejarmos do fundo do coração que algum mal faça-os pagar. Isso para os mais puritanos. Eu enxerguei tal segredo como um gancho para deixar os personagens ainda mais humanos. E claro que devido a esse segredo, Stephen coloca uma dose de drama no enredo. (anotem isso quando forem ler Stephen King: quase sempre temos uma situação dramática).

Através dos Trenton, conhecemos os Camber.

Joe Camber tem uma oficina na cidade. É o tipo de homem machista, que de início me provocou muita raiva e nojo. É casado com Charity, uma coitada. Brett é seu filho de nove anos.

Brett é uma criança adorável, e é na casa dos Camber que vive Cujo.

Cachorro de estimação de Brett, assusta a todos com seu tamanho. Cujo é um São Bernardo lindo, imenso, com quase 90 quilos. Mas, ao contrário do que imaginei, o cachorro não é nada endemoniado.


Cujo é dócil, ama crianças, enfim, um cachorro adorável. Como o livro é narrado em terceira pessoa, podemos conhecer Cujo e seus sentimentos. Sou apaixonada por cachorros, assim sendo, foi impossível não me render à amabilidade do São Bernardo.

...era impossível ficar indiferente a Cujo.

Em uma de suas caçadas, Cujo acaba sendo mordido por morcegos. E é ai que começa toda a mudança.

Os animais que morderam o cão estavam infectados pelo vírus da raiva. Cujo nunca fora vacinado, assim sendo, também se infectou. O meu coração ficou apertado, pois na casa dos Camber estavam acontecendo tantas mudanças, que eles não perceberam que o comportamento sempre adorável do cão, estava se modificando.

Então a agonia começa novamente: sofremos ao ver o sofrimento do cão, e ao mesmo tempo ficamos em pânico por saber as consequências que um animal com raiva pode trazer.
Estava sempre com sede, mas já tinha começado a evitar a vasilha com água. Quando bebia, a água tinha gosto de palha de aço e dava dor nos dentes. Além disso, causava espasmos de dor nos olhos. Agora ele estava ali, deitado no gramado, sem se importar com os vaga-lumes e tudo o mais. A voz dos HOMENS era ruído sem importância vindo de algum lugar acima dele. Nada significava quando comparado a seu crescente sofrimento.

E outra questão surge: será que a contaminação de Cujo poderia ter alguma relação com o suposto “monstro do closet”?

Quando concluí a leitura, às 23:50 do dia 30 de dezembro, estava completamente sem chão. Stephen acabou comigo, sem piedade, sem compaixão.

Primeiro porque criei laços com todos os personagens do livro, inclusive com o cachorro. No fundo, eu pedia para que o rumo do enredo fosse diferente, que de repente essa história não fosse terror, mas sim uma fantasia daquelas com finais felizes.

Sabia muito bem qual era o destino do Cujo, não é spoiler dizer a vocês que o cão fica irreconhecível, feroz e assassino. Um verdadeiro monstro, sem delongas. E preciso contar que há sim muito terror no livro, o cachorro acredita que “os humanos” são os responsáveis por seu sofrimento, e com isso, ataca cruelmente.

Imagem relacionada

Mas não estava preparada para as demais situações que o enredo levou. Eu fui completamente surpreendida, mesmo já conhecendo alguns aspectos da escrita do autor. Concluí a leitura com o coração apertado, coisa que geralmente não ocorre em livros do gênero.

Cujo é a prova que Stephen King é realmente um ícone da ficção. Ele faz você acreditar naquilo que impõe.

Geralmente, não nos sentimos dentro de um livro de terror, não queremos estar ali. Mas a construção tão real dos personagens faz com que você esteja ali mesmo sem querer. É isso que torna o enredo tão trágico: ficamos como personagens incapacitados de mudar o rumo da história. É frustrante você estar nessa situação, pois minha vontade era de realmente fazer alguma coisa para ajudar todos ali.

Quando terminei a leitura, senti tristeza e raiva. Como leitora que aprecia um bom livro, acho que realmente tudo funcionou pra mim. Amei conhecer esse clássico do mestre, amei ser surpreendida, amei conhecer Cujo. Talvez quando você estiver lendo essa obra, possa sentir medo quando se deparar com um cachorro, principalmente com um São Bernardo.

Eu levarei para sempre a doçura desse cão. E ficou uma instrução valiosa para todos os apaixonados por cachorros: nunca se esqueçam de vaciná-los.


Ficaria horas aqui contando o que fez com que me apaixonasse tanto por uma obra que me deixou tão acabada no final. Aliás, não queria que essa resenha terminasse, pois quero realmente te convencer a ler esse livro. 

Recomendo porque vale a pena conhecer Cujo, recomendo porque a escrita de Stephen King é incrível. Recomendo porque é um livro para jamais esquecer.



E para os fãs, recomendo pelo fato de ser realmente uma das raridades do autor. A Suma nos presenteou de uma forma inigualável. 

Nesta edição especial, linda e com capa dura, ainda temos ao final uma entrevista com o autor para a The Paris Review. Particularmente me deliciei. Nela, Stephen nos conta como surgiu a ideia para o livro, e temos ainda alguns fatos e curiosidades sobre outras obras, como Carrie e Celular.  Os entrevistadores compartilham conosco como é Stephen King. Enfim, me senti literalmente presenteada com essa obra tão rica. 


26 comentários

  1. Que revira volta, o autor começa contando uma história de terror, que nos deixa assombrado, e no fim nos mostra uma família, no qual e real que nos apegar aos personagens, e depois vem e acaba com tudo (risos). Mesmo me sentindo medo e receio do que me espera pela leitura, sua resenha me convenceu a dar uma chance a leitura, até porque a história e boa, envolvente, e te prende a leitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lana!! Põe reviravolta nisso. Estou feliz demais que tenha te convencido a ler, a história é realmente perfeita e envolvente ao extremo. Espero que curta. Não esqueça de me contar o que achou quando ler.
      Beeijos ♥

      Excluir
  2. Um fato sobre mim:: livros de terror, tenho medo eté das resenhas kkk
    Na verdade nunca li Stephen King ,e nunca li esse gênero, é que eu me envolvo demais com os personagens e se eles sofrem, sofro junto, más eu sofro muito mesmo , sei que vou passar dias criando situações e ajeitando a história na minha cabeça para eles terem um final feliz, só de ler sua resenha estou aqui morrendo de pena do Cujo "o cachorro, é claro" .
    Resenha belíssima, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kris! Eu senti muito receio em ler "Cujo" por causa do cachorro mesmo. Acredito que se soubesse de todo seu sofrimento, meu receio seria ainda maior. Mas, perderia uma raridade de enredo.
      Apesar de não gostar de desfechos negativos, e o terror tem muito disso, não dispenso obras do autor. Tem um diferencial. Algumas partes são realmente trágicas, porém temos outras que nos dão esperança, que passam algo de positivo em meio ao caos. Recomendo começar sua jornada lendo o livro Joyland, é um estilo diferente, um romance regrado a suspense.
      Beeijos

      Excluir
    2. Vou seguir sua dica, depois te falo o que achei. ;)

      Excluir
  3. Cachorro endemoniado kkk não tem como não rir rsrs
    na verdade tenho medo do stephen e nunca consegui ler nd rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thaynara! rsrsrs
      Era exatamente assim que considerava Cujo.
      Não tenha medo! O autor tem obras que passam longe de serem assustadoras. "A espera de um milagre", "Joyland", "Carrie" são algumas para ler sem medo algum.
      Beeijos

      Excluir
  4. No começo desta resenha fiquei com medo mas fui vendo as outras partes e comecei a compreender a historia.Ta na minha lista

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aline!!
      "yes" (fazendo a dancinha da vitória), que bom que o livro entrou para sua lista. Espero que se delicie com esse enredo.
      Beeijos

      Excluir
  5. Que vergonha!!!!!
    Acredita que ainda não li nenhum livro do autor?
    Tenho muita vontade. Mas convenhamos que seus livros geralmente estão com os preços bem elevados.

    Bem,quanto a sua resenha,não tem como não desejar muito ler esse livro agora.
    Fiquei cheia de curiosidade em conhecer as duas famílias, e o personagem principal: Cujo.
    Fiquei com muita pena do que aconteceu a ele, e tenho uma intuição que tenho que ter pena também de todos que cruzarem seu caminho.
    Não sabia nada sobre esse livro,e gostei de conhecer um pouco sobre ele.

    Bela dica! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Janaina!
      Concordo contigo, sempre são muito caros e são raras as vezes que encontramos alguma promoção.
      Mas vale a pena o investimento se você gosta desse tipo de enredo. Não me arrependo de ter gastado para ter alguns exemplares na estante, e ainda me programo para comprar mais.
      Fico feliz que tenha gostado da resenha, espero que leia.
      Beeijos

      Excluir
  6. Preciso aprender a lidar com meus medos, no caso, o medo de livros e filmes de terror. Acredito que seria uma boa começar com um escritor tão incrível quanto o Stephen King. Como amante de cachorros, fico meio receosa em relação a obra, mas sua resenha conseguiu fazer minha expectativas superarem isso. De qualquer forma, pelo que leio nas resenhas, precisarei de muita preparação prévia, haha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maira!! É muito difícil para quem gosta de cachorros. Eu amo demais, fiquei imaginando "minhas meninas" naquela situação. Sofri, confesso. Mas leria novamente, com toda certeza valeu muito a pena. Se prepare e leia, tirei toda a ficção de Cujo como uma lição.
      Beeijos

      Excluir
  7. MDSss!!! Stephen King,como sempre, é fenomenal. Que resenha boa. Já está na minha lista de compras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá João Pedro!! Sim, o cara é incrível, fodasticamente fenomenal hahahaha
      Obrigada ♥ Qdo ler não esqueça de me contar o que achou.
      Beijos

      Excluir
  8. Eu morro de medo de filmes e livros de terror. Eu até vi alguns filmes do Stephen King, mas geralmente com mais alguma pessoa e enquanto tem a luz do dia rs
    Eu sabia por cima a história de Cujo e me surpreendi ao saber pela sua resenha que na verdade ele era um cachorro dócil. Também achava que era um monstro aterrorizante desde o início.
    Não irei ler o livro, pois não gosto da sensação de sentir medo ou de sonhar com as coisas que eu vou acabar imaginando.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pamela!! Fui completamente surpreendida com esse enredo. Quem tem medo do gênero, não sei se recomendaria iniciar sua leitura com Cujo. Porém, a escrita de Stephen sempre traz mais que terror. As vezes temos drama, alertas, enfim, vale a pena.
      Beeijos

      Excluir
  9. Eu senti que o livro tem ias drama do que terror. Ainda não li mas imaginei que seria sim. Pelo fato de o cachorro se transformar totalmente em outro por uma mordida e querer se vingar dos humanos. Mas fiquei curiosa pra saber de toda a história !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rossana! Bem, é uma deliciosa mistura rsrs. Com certeza é uma história que vale a pena conhecer.
      Beijos

      Excluir
  10. Oi!
    Ainda não li nada do Stephen King, mas sempre vejo mutias resenhas positivas sobre sua escrita, o que me deixa muita curiosa para poder ler algo do autor, gostei muito dessa historia principalmente como o autor não encontra logo na historia e vai só deixando o leitor na expectativa, também achei interessante temos uma historia de terror com um cachorro e fiquei curiosa para poder ler !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Suzana! Sou suspeita pois amo o autor, até hoje não me decepcionei com nenhuma de suas obras. Espero que leia e se delicie.
      Beijos

      Excluir
  11. hallo!!

    nossa, eu sempre pensei que fosse ser a respeito de um cão infernal ou algo assim tbm...Mas assim q vc disse q Cujo pegou raiva meu coração j´a pesou. Sabe, eu faço veterinária, então eu estou sempre perto de casos de negligencia...E sim, foi negligencia. Gente, vacinar é tão fácil, rápido e barato...E alguns estados até tão a vacina de raiva de graça.
    Só de ler a resenha eu já fiquei com o coração pesado.

    Triste.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi amore!
      Eu também fiquei com o coração apertado quando li. Pois então, a negligência é evidente.
      Beeijos

      Excluir
  12. Oi.
    Resenha perfeita, parabéns!
    Adoro a escrita do autor, apesar de até o momento, ter lido poucos livros dele. Mas não foi por falta de vontade e sim, de grana para comprar. Meu sonho é ter todos os livros possíveis de King!
    Claro que esse livro está na lista. Fiquei super curiosa para saber mais do desenrolar dessa história. Adorooo!
    Beijos e obrigada pela indicação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Márcia sua linda!! Muito obrigada ♥
      Compartilhamos do mesmo sonho hahaha
      Beijos

      Excluir
  13. Oi Bia, tudo bem??
    Amei a sua resenha estava muito curiosa para saber a sua opinião... minha resenhista quer muito ler o livro e preciso fazer com que ela faça isso logo rs... claro que vou ler futuramente, preciso primeiro ler os que tenho aqui do autor e me familiarizar com a escrita dele. Pelo que percebi a história te pegou em cheio mesmo. Xero!

    https://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

© BLOG CLÃ DOS LIVROS- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por