( Resenha ) Um Amor em Lancaster de Barbara Biazioli

Publicação independente

Leia a sinopse AQUI.

Resenha



Lauren Barnes, mora em Londres, é uma escritora em ascensão que estava cansada de ser traída pelo noivo e ter sua vida pessoal escancarada para a mídia, só porque ele havia lhe pedido que escolhesse entre ele e os livros e, o que sua carreira acarretava. Resolvendo se envolver com sua concorrente para o prêmio Academy Romance, Marisha Baroon, que para sorte dele, acabou desclassificada na segunda etapa.

“Sou a mulher que escreve sobre romances, a mesma mulher que não sabe exatamente como fazer com que eles funcionem na vida real.”

Vive sozinha, enquanto, Gioconda Barnes, sua mãe desmiolada, mora em Paris, sempre envolvida com relacionamentos temporários. Seus melhores amigos, Rachel Monelli e Daniel Shayn, mudaram-se para Lancaster, uma cidade pequena e cheia de lendas urbanas, mas segundo eles, um lugar perfeito do qual não conseguiram mais sair. Rachel trabalha no ramo imobiliário e Daniel é o homem ideal para ela, eles só precisam deixar o medo bobo de lado e se permitir viver o amor que sentem um pelo outro antes que seja tarde. 

Norbert Marcollucci, é seu agente literário e está sempre pegando em seu pé, sendo inconveniente na maior parte das vezes.

“... quando concluímos a escrita, partimos para a leitura e encontramos o lago onde o casal se encontrou pela primeira vez, escutamos a música que embalou o primeiro beijo, sentimos o cheiro do café servido na primeira manhã que acordaram juntos e, então estamos preparados para deixar esse mundo e buscamos outro, branco, sem cheiro e absolutamente vazio, mas desta vez o mundo será maior; terá espaço para mais sobre nós e, assim, criamos mundos diferentes.”

Lauren está passando por um período crítico de bloqueio de escrita, sem conseguir escrever sequer uma linha, graças a sua vida emocional instável. Porém, se dá conta, de que, necessita sair de sua zona de conforto, encarar algo novo, viver novas experiências, para finalmente conseguir escrever uma história tão boa quanto Edgar e impressionar seus leitores.



“Eu estava no palco do Drury Lane, o maior teatro londrino, recebendo o maior prêmio literário do continente, o Academy Romance. Apenas os escritores com obras traduzidas em pelo menos oito idiomas subiram ali e receberam esse prêmio. Nesse momento, minha vida emocional deixou de existir e me senti como Francesca nos braços de Edgar, eu me senti invencível.”

Possuía uma vida confortável, com dinheiro para gastar com o que desejasse, já que sua imagem se vendia sozinha e seu nome se tornava cada vez mais conhecido, apesar, de as pessoas não a conhecerem de fato e, a possibilidade de Edgar ganhar um contrato de adaptação para o cinema era iminente. Sempre escreveu por amor, não por dinheiro, mas a pressão imposta sobre ela por Norbert a estava colocando no limite.
“— Presta atenção, você precisa vir para Lancaster. Essa terra tem as melhores lendas urbanas, desde uma hospedaria mal assombrada até um navio que aparece no horizonte às seis da tarde!”
Logo, se permite viajar para Lancaster, aceitar os convites insistentes de Rachel e Daniel, dando-se conta de que isso poderia despertar sua inspiração, já que o lugar transmitia certo fascínio, parecia um vilarejo de época com ares italianos, era como um cenário de cinema. 

Lauren conhece o arrogante Jeremy Salazar Foster, proprietário de uma imobiliária na cidade, que insisti em se relacionar com ela a todo custo, aproximando-se a ponto de ela correr perigo.

“Lancaster é uma ilha, assim como eu.”

Após retornar para Londres para resolver algumas pendências, Lauren sente que precisa retornar a Lancaster e extrair mais coisas daquele lugar, passar um tempo por lá, principalmente por sua curiosidade com relação a uma casa antiga que pertenceu aos Langdon, os fundadores da hospedaria e umas das primeiras famílias a chegar à cidade. Entretanto, um romance inesperado e impossível pode ser o impulso que está faltando para que finalize sua história.



 “Até mesmo as velhas histórias se tornam novas, e mesmo o que é morto pode viver. Um coração pode sentir o amor novamente, mesmo que ele tenha sido acorrentado por anos, mesmo que ele tenha sido jogado ao fogo, mesmo que ele tenha deixado de viver. Sempre existirá uma forma boa de amor, para nos salvar do que é ruim.”

Um romance encantador, misterioso, que me fez sentir uma mistura de emoções e me lembrou uma das minhas séries favoritas, A Mediadora - Meg Cabot. Narrado em primeira pessoa pela protagonista Lauren, relatando os acontecimentos de forma ampla e concisa. A capa é atraente, sombria, a diagramação é simples e a revisão perfeita.

A autora tem uma escrita leve, envolvente, detalhista na medida certa, que inspira e prende o leitor, impulsionando-o a ler mais e mais, dando-se conta em poucas horas que simplesmente devorou a história e precisa de muito mais dela. É o primeiro livro que leio da Barbara e me senti vivendo o que os personagens tão marcantes viveram, como se realmente fizesse parte do enredo, imaginando cada cena como a de um filme, foi uma experiência incrível, apaixonante.

Dou cinco estrelas, favorito e recomendo!

Nenhum comentário

Postar um comentário

© BLOG CLÃ DOS LIVROS- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por