( Resenha ) Os Bons Segredos de Sarah Dessen @editoraseguinte

Editora Seguinte

Clique na capa e compre o livro na Saraiva

Sinopse


Há segredos muito bons para serem guardados — e livros muito bons para serem esquecidos Sydney sempre viveu à sombra do irmão mais velho, o queridinho da família. Até que ele causa um acidente por dirigir bêbado, deixando um garoto paraplégico, e vai parar na prisão. Sem a referência do irmão, a garota muda de escola e passa a questionar seu papel dentro da família e no mundo. Então ela conhece os Chatham. Inserida no círculo caótico e acolhedor dessa família, Sydney pela primeira vez encontra pessoas que finalmente parecem enxergá-la de verdade. Com uma série de personagens inesquecíveis e descrições gastronômicas de dar água na boca, Os bons segredos conta a história de uma garota que tenta encontrar seu lugar no mundo e acaba descobrindo a amizade, o amor e uma nova família no caminho.


Resenha

“Ainda assim, eu pensava que aquilo mudaria tudo. Afinal, os crimes e as prisões de Peyton haviam transformado a visão que as pessoas tinham da minha família inteira. Os vizinhos ou nos encaravam ou faziam questão de não nos olhar; as conversas na piscina ou ao pé do mural de avisos da comunidade paravam quando chegávamos perto o suficiente para escutar. Era como se tivéssemos entrado numa casa dos espelhos e descoberto que deveríamos permanecer lá. Eu era  a irmã do delinquente da vizinhança, do cara que usava drogas e bebia. Não importava que eu não tivesse feito nada disso. A vergonha, como uma epidemia, contaminava quem está por perto.”

Os bons segredos é um livro narrado em primeira pessoa, pela jovem Sydney, uma menina de 16 anos cujo irmão depois de muitos problemas causados, acaba sendo preso por atropelar um jovem que tinha quase a idade da protagonista. 
Vivendo em uma família de classe média alta, o acontecimento marcou todos os integrantes, prejudicando o convívio com os vizinhos do bairro, com os integrantes do clube do qual eles faziam parte e até mesmo no colégio de Sydney.

Buscando uma mudança, Sydney decide estudar em uma escola mais simples em outro bairro, assim ela teria o histórico limpo por um período de tempo.  Além disso, sabia que todos os gastos com advogado que os pais estavam tendo, somados com o valor da escola na qual ela cursava, dificultariam a sua entrada em uma universidade no futuro. Assim ela decide ir para a Jackson.

“Na primeira vez que ouvi essa, fiquei pensativa. Lá pela  quarta ou quinta, entendi o que ela realmente queria dizer. Eu olhava para David Ibarra e só enxergava vergonha e arrependimento; minha mãe só enxergava Peyton. Daquele momento em diante, tive certeza de que não importava o que víssemos , nossas perspectivas jamais seriam as mesmas.”

O livro vai mostrar como certos problemas familiares distanciam as pessoas por conta de opiniões divergentes de como lidar com certas situações. Nesse caso o pai toma partido somente das questões financeiras e judiciais do problema, a mãe tenta proteger a todo custo o filho e Sydney é a única que olha para Peyton com olhos críticos, mesmo amando, é capaz de enxergar os erros e sente culpa por ninguém se sentir culpado.

É muito interessante, pois no desenrolar da história a autora traz vários diálogos entre mãe e filha ou pai e mãe para que possamos entender o sentimento da protagonista. O que aparece no enredo dessa história fictícia acontece de verdade com famílias de diversos lugares. Fica claro que cada pessoa toma uma atitude diante de um problema que envolve alguém que a gente ama, e que cada atitude gera uma consequência não somente para os envolvidos diretamente, mas também naqueles que estão próximos.

“Eu a encarei em silêncio, desejando que ela falasse alguma coisa. Desejando que, de algum modo, em meio a toda sua dor e distração, ela pudesse finalmente me enxergar, já que não poderia ouvir as palavras que eu era incapaz de dizer em  voz alta.”

Um dos maiores conflitos do livro é o da Sydney com sua mãe. Por conta da sua superproteção com o filho mais velho, acaba afastando a filha. A menina não consegue aceitar que a mãe não enxergue os erros do irmão, toda vez que a mãe tenta encontrar responsáveis para um problema cujo único culpado é Peyton, ela afasta mais ainda sua filha.
Este é outro fato muito interessante no livro, ver que a mãe toma certos cuidados com a filha por conta do que aconteceu com o filho. Porém, em certos momentos, Sydney tem a liberdade diminuída por conta de atitudes que seu irmão tomou no passado. Por mais que seu histórico de comportamento seja limpo, na hora da decisão é o histórico de comportamento dele que acaba interferindo na escolha da mãe.

Mas o livro vai falar de amizade também. Aquela amizade que você faz e acaba encontrando mais integrantes da sua família.

“Achei graça, e ela viu o meu sorriso e retribuiu. Se antes era só uma intuição, naquele momento tive certeza. Estava muito, mas muito feliz de ter ido.”

Próximo a nova escola  de Sydney existe uma pizzaria onde ela resolve parar para passar o tempo para adiar ao máximo o encontro diário com a sua mãe.
O que ela não esperava era conhecer uma família tão acolhedora e receptiva, os Chatham. A filha da idade de Sydney, Layla, logo começa a conversar com a garota e elas se tornam amigas. Além dela,  Mac Chatham, vem para roubar os olhares de Sydney. Desde o primeiro momento que a garota o viu já se encantou.

“[...] Era como se ela tivesse passado de estranha a melhor amiga do dia para a noite. Parecia impossível que uma completa desconhecida até seis meses antes fosse naquele momento a única pessoa que me compreendia."

O livro foi bem escrito e a leitura flui tranquilamente, assim você passa pelos capítulos rapidamente. Os bons segredos traz um enredo dramático mostrando como a família e os amigos são importantes nos momentos de crise familiar. Que as vezes não é o tempo de amizade que determina que aquele amigo é o que vai mais te ajudar no momento de necessidade e o mais interessante, um fato que eu acredito, que existem pessoas que você conhece e cria laços tão fortes quanto os familiares.
Esses amigos são como família mesmo, assim você não tem afeição só pelo seu amigo e sim por todos aqueles que ele também ama. Isso é um encontro raro e muito bonito de se ver.


Capa Original






Nenhum comentário

Postar um comentário

© BLOG CLÃ DOS LIVROS- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por